segunda-feira, 9 de setembro de 2013

Bom dia, amados unicórnios alucinados.

Como eu havia prometido, irei postar uma resenha sobre o filme Oblivion, do diretor Joseph Kosinski.



         Como podemos notar no trailer, o elenco é de primeira. Tom Cruise interpreta Jack Harper, um homem que juntamente com Victoria (Andrea Riseborough) foi designado para manter a Terra em "ordem" vamos dizer assim. No elenco ainda está o fabuloso Morgan Freeman (que eu não vou contar que personagem faz para não perder o Tchanammm do filme).
         O ano é 2077, o cenário foge um pouco daqueles clichês como cidades devastadas e também não mostra o período pré-apocalíptico, mas sim o pós, contado ao longo do filme pelos personagens.
         Jack Harper (apelido Tech 49) e Victoria Olsen são os únicos humanos (ou pelo menos pensam que são) a permanecerem na Terra após a guerra entre os humanos e os alienígenas chamados de "saqueadores" (não sei bem se são alienígenas), que destruiu grande parte do planeta e obrigou os humanos a migrarem para Titã, lua de Saturno (que eu nem sabia ser habitável - Risadas).
         Todos os dias o casal faz chamadas de vídeo com Sally (Melissa Leo), aparentemente uma oficial da Nasa responsável por fiscalizar as ações deles na Terra até eles partirem para Titã. Ambos tiveram suas memórias apagadas para não comprometerem sua missão, mas Jack ainda tem flashbacks (são sonhos na real) com uma mulher do seu passado.
         Tudo vai bem, até que um dia Jack está fazendo sua patrulha para consertar os "drones" (a polícia do futuro) e detecta uma nave desconhecida voando nos céus que cai logo em seguida com seis cápsulas dentro e contendo cada qual um humano, sendo um deles a mulher que aparece nos sonhos de Jack. Logo aparece um drone e mata todos os sobreviventes, mas Jack salva a mulher, Julia (Olga Kurylenko).
         Filme vai e filme vem... Jack leva a mulher pra casa, a medica, cuida e blá blá blá. Ela pede que ele a leve aos destroços da nave para que ela pegue a caixa-preta e descubra o que causou a sua reentrada na atmosfera terrestre, visto que ela devia estar em Titã. Eles então são capturados pelos saqueadores e levados para uma fortaleza onde são obrigados a acionar uma bomba nuclear para destruir Titã (não vou contar quem são os saqueadores, porque senão perde a graça).
        Os saqueadores fazem grandes revelações a Jack e dizem para ele ver com seus próprios olhos. Eles então vão para a zona de radiação, onde está escondida toda a verdade. Nesse meio tempo, Jack lembra que Julia foi sua esposa no passado e eles transbordam amor, o problema é que a Victoria viu tudo e daí danou-se. Ela informa a Titã que Jack não serve mais para a missão e então os drones começam a persegui-lo, mas acabam matando Victoria. 
         Jack descobre a verdade e se junta aos saqueadores, colocando o plano de destruição de Titã em prática (com sucesso). 


Dúvidas:

- Eu não entendo, como uma pessoa pode ficar 60 anos hibernando?
- Quantos clones tinham na Terra afinal?
- Por que os alienígenas destruíram a Lua (não tem nada lá)?
- Por que o Jack trocou aquela lindeza da Victoria pela sem graça da Julia?
- O Morgam Freeman estava quase morrendo, mas resistiu a uma viagem interestelar?
- Que fim levou a Victoria²?


Eu contei somente o superficial do filme, assistam e confiram o desenrolar crazy desta bela ficção científica. Com um visual bem moderninho, mas simples e fácil de compreender (se olhar com atenção e sem dormir).

Beijos e espero que tenham gostado. <3
        

domingo, 8 de setembro de 2013

Voltando com tudo ou pelo menos tentando...




E aí galerinha daora, sentiram saudade? Tá, eu sei que não. HAHA'

     Bom, vou reativar meu blog aos poucos e mudar um pouco a temática dele. Dentre as novidades estão uma resenha de filme por semana, dicas de sites, páginas no Facebook para seguir, notícias, indicações de séries, programas de televisão, poesias e textos de minha autoria, curiosidades em geral, etc.
     Aposto que vocês não vão se arrepender, acompanhem o blog, deixem comentários, dicas e pedidos. Vou fazer o possível para publicar todos os dias, mas se não conseguir, peço que me desculpem. Sabe como é né, final de semestre é PHODA e eu ainda por cima deixei a matéria acumular. O.o
     Talvez eu complemente as matérias com vídeos, para ficar mais interessante. Amanhã irei postar a resenha de Oblivion, do diretor Joseph Kosinsk, uma ficção científica eletrizante. Aguardem...

Beijos desse unicórnio e até amanhã.

quinta-feira, 18 de abril de 2013

Linguagem muda



         Falar não é um privilégio somente da boca. Nosso corpo inteiro é capaz de se comunicar através de infinitas formas. Falar não é obrigatoriamente somente um processo de troca de palavras entre dois indivíduos, mas sim um processo de troca de sensações, emoções, pensamentos e também palavras.
         Duas pessoas podem conversar durante horas sem trocar uma palavra se quer e mesmo assim se fazerem entender ou podem fazer o mesmo se expressando agora com palavras, mas não se fazendo entender tão bem como antes. Exemplificando, não existe uma troca de palavras quando observamos uma obra de arte, mas nem por isso ela está deixando de se comunicar conosco.
         Uma imagem, sendo ela filmada, pintada, fotografada ou desenhada, qualquer tipo de imagem, acaba se comunicando conosco através da linguagem subjetiva. A cor, o tipo de traço, uma forma, o estilo, o momento retratado, a moldura, cada detalhe é responsável por transmitir uma determinada mensagem. Não existem palavras objetivas nesse processo, mas isso não quer dizer que não temos um processo de comunicação, uma mensagem subjetiva.
          Duas pessoas que se amam não precisam pronunciar uma palavra se assim desejarem. O olhar, o beijo, um carinho, o abraço, um belo sorriso, uma expressão corporal ou facial é capaz de traduzir para o parceiro o que esperamos daquele momento.
          Não é necessário dizer que se precisa de um abraço, o seu corpo já comunica isso e quem te conhece vai saber que naquele exato momento você precisa de um abraço. Não é preciso dizer com palavras.
          Os homens primitivos se comunicavam com desenhos, gestos, grunhidos e se faziam entender. Por que precisamos de palavras? A subjetividade de um ser é muito mais reveladora do que nossas próprias palavras. Fale com os olhos, sinta com o coração e demonstre com atitudes. Palavras são só ferramentas para que você complete a obra. As palavras são iguais para todos, o que te torna diferente dos demais é a linguagem subjetiva do teu corpo, tuas atitudes e gestos.

segunda-feira, 4 de março de 2013

Agradecer é melhor do que pedir



           Você já parou para pensar que é uma pessoa sortuda? Simplesmente por dormir e ter a oportunidade de acordar no outro dia?
          As coisas mais importantes nessa vida derivam de pequenos detalhes que muitas pessoas dizem valorizar, mas na verdade não valorizam. Um céu azul, uma noite estrelada, uma onda do mar, o vento em nosso cabelo, um pássaro cantando pela manhã, a chuva que desce lavando tudo, um sorriso espontâneo, um beijo roubado, um abraço apertado, uma palavra de amor, uma amizade sincera, o sabor de comer um doce, uma corrida com seu cachorro, um carinho na barriguinha do seu gato, dormir de conchinha com alguém que amamos, um sonho realizado, uma conquista, um filme numa tarde de inverno, um trabalho digno, ler um livro, escutar uma boa música, dançar, cantar, praticar um esporte, mandar uma mensagem quando estamos com saudade, etc.
         Nem todos podem ver, sentir e ouvir todas essas sensações e sentimentos. As pessoas estão acostumadas a pedir e raramente agradecer. Agradecer é necessário, independente de acreditar ou não em Deus. Agradeça para alguém ou para algo.
         Não peça dinheiro, fama e coisas fáceis. Peça coragem para levantar se um dia você cair, força para lutar e se preciso recomeçar, saúde, vida, etc. Aproveite as oportunidades que surgem na vida e busque felicidade por conta própria.
          Na vida você só recebe aquilo que vai precisar, se não recebeu, é porque não vai precisar. Agradeça e conserve o que você já possui. Tenha ambições, mas não deixe que elas a consumam.
          Cada instante conta nessa vida, cada momento é único e cada escolha leva para um caminho diferente. Peça só quando precisar e agradeça sempre. Viver já é um presente.

                                                                                             Boa-noite seus lindos.

domingo, 3 de março de 2013


Para gostar de Surf Music



Jason Mraz: este cantor mistura os estilos Pop/Rock, Romântico e Surf Music.
Músicas:
- I Won't Give Up;
- I'm Yours.

Israel Kamakawiwo'ole: 100% Surf Music, estilo Hawaí.
Músicas:
- Somewhere Over The Rainbow.

Sublime: a banda mistura Surf Music, Reggae e Ska.
Músicas:
- Santeria;
- Take It or Leave It.

Donavon Frankenreiter: também 100% Surf Music, estilo lual.
Músicas:
- Free!;
- It Don't Matter;
- Life, Love & Laughter.

The Ventures
Músicas:
- Hawaii Five.

Jack Johnson
Músicas:
- Better Together;
- Upside Down;
- Sitting, Waiting, Wishing;
- Times Like These.

Ben Harper
Músicas:
- Diamonds On The Inside.

The Cantays
Músicas:
- Wipe Out.


E pra finalizar, nada menos do que a linda da Colbie Caillat. Recomendo todas as músicas dela. *o*
Ela mistura os estilos Romântico, Pop e Surf Music.
Vale a pena conferir. Tenho certeza que vocês irão gostar de Surf Music. '-'

sábado, 2 de março de 2013

Meu primeiro amor




       Tantos olhares disfarçados, sorrisos discretos, beijos no canto da boca e no pescoço, conversas com segundas intenções, nossos destinos andavam lado a lado mas nunca se encontravam, um sentimento que precisava ser libertado, ambas pensando... "Ela nunca vai ser minha".
Tudo foi se encaixando, até que você caiu nos meus braços finalmente. Não vou lembrar dos momentos ruins, porque os bons foram muito maiores. Lembro do nosso primeiro beijo, um beijo que parecia o encontro de duas almas com muita saudade. Se entregou pra mim com uma leveza, com uma certeza. Passeios até perdi as contas, todos perfeitos e inesquecíveis. Nosso beijo nunca perde o sabor, nosso abraço sempre para o tempo, nossos olhares mesmo distantes sempre irão se cruzar e o nosso amor, esse nunca vai poder ser explicado e muito menos acabar. Você é pra mim a única, nunca ninguém conseguiu despertar o verdadeiro amor em mim. Por você eu faço tudo, enfrento o mundo. Só mudei e lutei por quem realmente mereceu, você. Nunca duvide que você é diferente, que pra mim você significa muito mais do que uma namorada. Eu nunca mais vou amar alguém, porque você é o meu amor. Sabe quando eu vou te deixar? Nunca. Quando eu vou deixar de dizer que te amo? Jamais. Sabe quando eu vou te pedir em casamento? Agora. Casa comigo? Eu te amo muitoooo minha pequena. ♥ 




Minhas adoráveis estrelas




       Para cada estrela no céu existe um sonho meu atribuído. Alguns brilham mais e estão mais próximos, outros já me parecem inalcançáveis e o brilho quase não ofusca os meus olhos. Eles têm uma coisa em comum, independente do seu tamanho, de seu brilho ou da distância que eles estão de mim, todos merecem um lugar no meu céu. Estrelas são como sonhos, ambos guiam o nosso caminho. Tenho certeza de que assim como as estrelas, os meus sonhos voltaram a brilhar na próxima noite.